Uma bola que chora
César Rodrigues Investigador em História e Desporto
05 de dezembro de 2016

Uma bola que chora

Para erguer o troféu seria preciso voar nas asas de um avião que, rasgando o céu, encurtaria distâncias entre sonho e realidade. Os jogadores acreditando no seu destino, iniciaram uma viagem que ficará eternizada no desporto mundial

Nos últimos anos, a Chapecoense, pequena equipa do futebol brasileiro, subiu da 4.ª Divisão até à principal competição do país e alcançava agora a final de uma competição internacional, a Taça Sul-Americana.

Para erguer o troféu seria preciso voar nas asas de um avião que, rasgando o céu, encurtaria distâncias entre sonho e realidade. Os jogadores acreditando no seu destino, iniciaram uma viagem que ficará eternizada no desporto mundial.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login