A Academia abandona a violência tauromáquica
André Silva Porta-voz e deputado do PAN
26 de maio de 2018

A Academia abandona a violência tauromáquica

Por todo o país a Academia tem confirmado as mudanças sociais que já estão em curso e cumprido um dos seus papéis sociais fundamentais.

Depois dos estudantes de Setúbal, do Porto, de Coimbra e de Tomar, esta semana foi a vez dos estudantes de Évora manifestarem a sua vontade em abolir a garraiada da Queima das Fitas. O "NÃO" à realização de garraiadas promovidas no seio académico e na Queima das Fitas de Évora venceu com o expressivo valor de 61,4%.

Por todo o país a Academia tem confirmado as mudanças sociais que já estão em curso e cumprido um dos seus papéis sociais fundamentais: promover a reflexão crítica alicerçada na consciência e na razão, e não na tradição dogmática, nem nos interesses cristalizados de uns em prejuízo da vontade expressa pela maioria. Há quem se eleve diminuindo outros e há quem se eleve para comemorar a vida.

Para os que se sentem afrontados com o projecto de lei do PAN para abolir touradas em Portugal, temos palavras animadoras: uma sociedade civil atrevida que questiona o estado do mundo é sinal de evolução, de pluralidade, de pensamento e de saúde democrática. Os totalitarismos e as seitas emergentes nascem e crescem na ubiquidade e na insidiosa manutenção da ignorância dos cidadãos para que não agitem muito as tradições e para serem observadores passivos da realidade.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login