“Lembro-me de ver tudo a voar. Nunca vivi nada assim”

Alexandra Pedro 25 de agosto de 2017

Gonçalo Lobo Pinheiro, de 38 anos, viveu de perto a tragédia que assolou Macau esta quarta-feira. No próximo fim-de-semana prevê-se uma nova tempestade tropical. Leia o testemunho de quem presenciou os estragos do tufão Hato

Gonçalo Lobo Pinheiro, de 38 anos, vive em Macau desde 2010 e três dias após a passagem do tufão Hato, que fez pelo menos dez mortos e centenas de feridos na região, diz à SÁBADO que nunca viveu nada semelhante. Com a sua filha e mulher, o fotojornalista português refugiou-se em casa, num 23.º andar – com portas e janelas fechadas. Hoje, ainda sem água e a temer pela escassez da comida, Gonçalo descreve o que aconteceu como um "filme de guerra" e garante que há "muito trabalho para os próximos meses". 

Na sua página de Facebook, Gonçalo mostra a destruição daquela região, que este fim-de-semana, segundo as autoridades, se prepara para receber uma nova tempestade tropical. Apesar dos alertas, o fotojornalista na revista Macau aponta falhas ao Governo, bem como aos Serviços Meteorológicos de Macau.

Leia aqui o testemunho de quem sobreviveu à tragédia que assolou Macau.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais