Jerusalém: Marcelo não fala de Trump mas teme gestos "contraproducentes"

Cátia Andrea Costa 06 de dezembro de 2017

Marcelo nunca se referiu directamente ao possível reconhecimento pelos EUA de Jerusalém como capital de Israel mas criticou a decisão, tal como o Governo.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, demonstrou convergir com o Governo nas preocupações com "gestos que possam ser considerados contraproducentes para o clima de diálogo" no Próximo e no Médio Oriente.

O chefe de Estado português falava tendo ao seu lado o presidente de Itália, Sergio Mattarella, que recebeu no Palácio de Belém, no início da sua visita de Estado a Portugal. Marcelo nunca se referiu directamente ao possível reconhecimento pelos EUA de Jerusalém como capital de Israel, que segundo vários órgãos de comunicação social será anunciado hoje pelo presidente norte-americano, Donald Trump.

"Acompanhamos a situação relativamente ao Próximo e ao Médio Oriente e Portugal, em especial, já manifestou a nível de Governo a sua preocupação por gestos que possam ser considerados contraproducentes para o clima de diálogo, de entendimento e de paz numa área sensível do globo", declarou o Presidente da República aos jornalistas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais