EUA: Médica que ajuda doentes com Covid-19 fica sem custódia da filha

14 de abril de 2020

A profissional de saúde está revoltada com a atitude judicial: "É cruel que me esteja a ser pedido que opte entre a minha filha e o juramento que fiz enquanto médica".

Uma médica que está a trabalhar no serviço de urgências de um hospital em Miami, EUA, perdeu temporariamente a custódia da filha por causa da sua profissão, numa fase em que está mais exposta ao perigo de contrair coronavírus.

T
heresa Greene explicou, em declarações à CNN, que lhe foi pedido para escolher entre o juramento médico que fez ou continuar a ver a filha.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação