Cyntoia Brown: vítima de tráfico sexual que matou o homem que a violou vai ser libertada

Carolina R. Rodrigues 07 de janeiro de 2019

Brown tinha 16 anos quando assassinou Johnny Allen, o homem que a comprou para ser escrava sexual.

O governador do Tennessee, nos EUA, Bill Haslam, concedeu esta semana clemência judicial a Cyntoia Brown, condenada em 2006 com 16 anos a prisão perpétua por ter assassinado Johnny Allen, um agente imobiliário e, tal como mais tarde se viria a descobrir, o homem que a violou e que a comprou para ser sua escrava sexual.

Haslam, o político Republicano cujo mandato termina em duas semanas, decidiu autorizar a saída sob liberdade condicional de Brown, agora com 30 anos, no dia 7 de agosto deste ano. A norte-americana ficará sob supervisão policial durante dez anos e com as condições de não violar quaisquer leis federais, ter um trabalho e participar em sessões de aconselhamento regulares.

Cyntoia Brown era menor quando matou Johnny Allen, de 43 anos, em 2004, com um tiro na nuca a uma distância próxima, depois de este a ter ido buscar num local em Nashville. Segundo a acusação na altura, a jovem levou uma arma de fogo com a intenção de roubar o agente imobiliário.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais