Bruxelas coloca-se ao lado de Madrid. Mas exige fim da violência

Cátia Andrea Costa 02 de outubro de 2017

Comissão Europeia reitera que referendo sobre independência da Catalunha foi ilegal. Governo regional defende novamente a "mediação internacional"

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, reiterou ao governo de Madrid o apoio de Bruxelas na questão do referendo sobre a independência da Catalunha. Segundo o ABC, Juncker ligou ao primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, para reforçar a posição que seria tornada pública horas depois em conferência de imprensa: a Comissão está ao lado da legalidade e da Constituição.

"A Comissão Europeia acredita que estes são tempos de unidade e estabilidade, não de divisão e fragmentação. Telefonámos a todos os protagonistas para pedir que passem do confronto ao diálogo", disse a porta-voz de Juncker Margaritis Schinas. E assegurou ainda que a consulta popular de domingo "não era legal": "Para a Comissão Europeia, como sublinhou repetidamente o presidente Juncker, este é um assunto interno de Espanha, que deve ser tratado em linha com a ordem constitucional de Espanha."

O sim à independência da Catalunha conquistou 90% dos votos do referendo, segundo os dados oficiais divulgados na noite deste domingo pelo governo regional. A justiça espanhola considerou ilegal o referendo pela independência convocado para domingo pelo governo regional catalão e deu ordem para que a polícia regional fechasse os locais de votação.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais