Brexit com negociações reforçadas devido a (maior) atraso causado pela Covid-19

Jornal de Negócios 15 de abril de 2020

Os chefes das missões negociais da UE e do Reino Unido acordaram, esta quarta-feira, intensificar as conversações com três rondas negociais, com a duração de uma semana cada, de modo a obter "progressos tangíveis" antes da cimeira europeia de 18 e 19 de junho.

Ainda antes da eclosão da pandemia do novo coronavírus já se afigurava quase impossível concluir a tempo o processo negocial entre a União Europeia e o Reino Unido com vista a um acordo bilateral. Agora ainda parece mais difícil.

Não obstante as dificuldades, os chefes das missões negociais de ambos os lados, Michel Barnier, por Bruxelas, e David Frost, por Londres, conversaram esta quarta-feira, por videoconferência, e decidiram intensificar o programa de conversações por forma a assegurar "progressos tangíveis" antes do próximo Conselho Europeu, marcado para 18 e 19 de junho.

Embora tal não seja referido no comunicado publicado no site da Comissão Europeia, aparentemente o surto veio atrasar e dificultar ainda mais a complexa negociação.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais