Bolsonaro manda críticos da cloroquina tomar refrigerante para combater covid-19

C.A.C. 20 de maio de 2020

Presidente do Brasil anunciou que o ministro interino da Saúde vai assinar, esta quarta-feira, o novo protocolo que permite a utilização do referido medicamento em doentes contagiados. E deixou um recado à esquerda brasileira.

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, continua a defender a utilização de cloroquina em pacientes com covid-19 e mandou os críticos da medida, que tem sido desencorojada por especialistas, tomarem refrigerante para combater a infeção provocada pelo novo coronavírus. O Presidente do Brasil é um defensor que o medicamento usado para tratar doenças como artrite, lúpus e malária e cujos efeitos em pacientes vítimas da covid-19 estão ainda a ser estudados em diversos países, incluindo no Brasil, seja administrado a todos os infetados pelo novo coronavírus no país, independentemente da gravidade do seu estado clínico.

"O que é a democracia? Você não quer? Você não faz. Você não é obrigado a tomar cloroquina", disse o chefe de estado brasileiro durante uma entrevista ao vivo nas redes sociais com o jornalista Magno Martins. Logo de seguida, uma ironia para as pessoas que o criticam: "Quem é de direita toma cloroquina. Quem é de esquerda toma Tubaína". 

Na mesma 'live', Bolsonaro anunciou que o ministro interino da Saúde, o general Eduardo Pazuello, vai assinar, esta quarta-feira, o novo protocolo que permite a utilização do referido medicamento em doentes contagiados, mesmo em pacientes sem gravidade e que apresentem os primeiros sintomas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais