A fabulosa ascensão de Devin Nunes

Depois de dois dias com Donald Trump, o poderoso líder da Comissão de Informações da Câmara dos Representantes mostrou à SÁBADO os locais da sua infância, incluindo a quinta onde passava os dias a ordenhar vacas

O dia estava quente em Tulare, uma pequena cidade no Vale de San Joaquin, na Califórnia. Devin Nunes, 42 anos, o republicano luso-descendente que preside à Comissão Permanente de Informações da Câmara dos Representantes do Congresso americano, esperava à porta de casa, vestido com calças de ganga, ténis e uma camisa de manga curta. "Está demasiado calor. Tire já o casaco", pede, com um sorriso, enquanto estende a mão direita e guarda o iPhone com a esquerda. Ele próprio está satisfeito por ter trocado o habitual fato e gravata por um traje mais informal. "Passei os últimos dois dias com Donald Trump - e com a mesma roupa", graceja.

 

Era terça-feira, 30 de Agosto. O candidato presidencial tinha-se deslocado a Tulare para um evento privado de angariação de fundos que foi organizado pelo luso-descendente. Para o preparar sobre os temas a abordar no encontro, na véspera, Devin Nunes reuniu-se com o milionário na região de São Francisco. Deveria ter regressado a casa para jantar com a família e voltar a juntar-se a Donald Trump em Tulare. Mas o magnata não o permitiu: "No fim da nossa conversa, ele virou-se para mim e disse: 'Tu vens comigo.' Não podia dizer que não".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais