Entrevista

David E. Sanger: “As ciberarmas estão em todos os planos de guerra americanos”

David E. Sanger: “As ciberarmas estão em todos os planos de guerra americanos”
Nuno Tiago Pinto 10 de julho
Biografia Nome:

David E. Sanger

Cargo:

Correspondente do New York Times na Casa Branca e para os assuntos de Segurança Nacional

Nascimento:

5 de julho de 1960

Nacionalidade:

Norte-americana

As ciberarmas estão hoje ao dispor de Estados, criminosos, terroristas e até teenagers. No livro que deu um documentário na HBO, o jornalista do New York Times David E. Sanger explica como todos as usam e os problemas para as controlar.

No passado dia 1 de julho, os Estados Unidos denunciaram mais uma campanha de ciberataques russos. Foi a primeira vez que o fizeram desde que Joe Biden deu a Vladimir Putin uma lista de 16 áreas de infraestruturas críticas em que não são tolerados ataques. Nesse mesmo dia, David E. Sanger, autor do livro A Arma Perfeita, que será publicado esta semana em Portugal, falou com a SÁBADO a partir de Washington e explicou a importância das ciberarmas e como elas estão a ser usadas todos os dias.

Diz que as ciberarmas são a "arma perfeita". Porquê?
Primeiro, são muito baratas, sobretudo quando comparadas com a construção de exércitos, armas nucleares ou espaciais. Só é preciso talentos jovens, códigos roubados, alguns programadores, pizza e Red Bull. Elas são também negáveis, ou seja, se eu o atacar e for suficientemente bom, posso fazer com que pareça que o ataque tenha origem numa universidade na Bósnia. Em terceiro, o seu uso não chega a ser um ato de guerra, o que quer dizer que posso calibrar o ataque de forma que uma resposta militar seja improvável.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter Geral no seu e-mail
Tudo o que precisa de saber todos os dias. Um resumo de notícias, no seu email. (Enviada diariamente)