Prepare-se: o pinhão vai ser mais caro

Susana Lúcio 26 de maio de 2018

O quilo do ouro branco vai custar mais de 120 euros este ano. Culpados: a seca - as pinhas são mais pequenas - e a chuva que atrasou a apanha. É que esta ainda é feita à mão.

Portugal tem o melhor pinhão do mundo, mas são poucos os portugueses que comem regularmente o mais caro dos frutos secos. O chamado ouro branco, cujo quilo já atingiu os 120 euros em anos anteriores, é exportado e se volta ao País é misturado com pinhões turcos, chineses e paquistaneses, de pior qualidade.

Apesar disso, o preço mantém-se elevado e deverá aumentar este ano devido à seca, que não deixou crescer as pinhas. No início deste mês, o preço à porta da fábrica era de €41/kg, um valor que atinge mais do dobro quando chega ao consumidor.

Outra das razões é a colheita das pinhas ser ainda manual. Entre 15 de Dezembro e 31 de Março, o prazo legal para a apanha, centenas de homens sobem aos pinheiros mansos por escadas de ferro presas aos troncos e trepam pelos ramos até atingir a copa das árvores, muitas com 18 metros de altura. Aí, com a ajuda de varas com ponteiras ou ganchos, tocam nas pinhas para estas caírem no chão. É um trabalho demorado e perigoso e, por essa razão, bem remunerado: cerca de €100/dia.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais