O retrato do país nos últimos 30 anos

Há três décadas não tínhamos hipermercados, microondas ou canais de TV por cabo, e os divórcios eram uma raridade. Especialistas e personalidades - do mundo do desporto, da literatura, da arquitectura, das artes plásticas e do humor - contam o que mudou

Foi o ano em que uma mulher, Maria de Lourdes Pintasilgo, se candidatou à presidência do País. Apesar de ter perdido, para Mário Soares, que se manteria no cargo durante 10 anos, só veria os seus passos repisados três décadas depois - por Marisa Matias e Maria de Belém, ambas derrotadas também, este ano, 2016.

Foi o ano em que, ainda as ecografias não eram método de diagnóstico comum da saúde neonatal e as fraldas descartáveis eram consideradas produto de luxo, nasceu, pela mão do médico António Pereira Coelho, o primeiro bebé-proveta em solo nacional - Carlos Saleiro, hoje futebolista profissional a jogar em Inglaterra.

Foi o ano em que Portugal, com Espanha, se juntou à então CEE, dando azo à invenção da expressão "Europa dos 12" (hoje dos 28), uma comunidade onde cada país mantinha a sua própria moeda (só em 2002 é que o Euro enterraria finalmente o Escudo) e onde para se cruzarem fronteiras era preciso mostrar bilhete de identidade ou passaporte - a livre circulação permitida por Schengen só viria a acontecer em 1991.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais