O que mudou no mundo, um ano de pandemia depois

Diogo Barreto , Mariana Branco 17 de novembro de 2020

O primeiro caso, as primeiras mortes, a indecisão sobre a utilização de máscaras, o marco do milhão de mortos e a esperança sob a forma de uma vacina. Há um ano, foi detetado o primeiro caso.

Um vírus da espécie coronavírus e que começou a infetar pessoas na China foi responsável por uma das maiores crises sanitárias dos últimos 100 anos a nível mundial. Mais de 1,3 milhões de pessoas morreram e mais de 50 milhões foram infetadas pelo mundo inteiro.

Economias colapsaram, democracias foram enfraquecidas e ditaduras reforçadas. Sistemas de saúde pelo mundo fora ficaram assoberbados e as iniquidades mundiais foram postas a descoberto, à medida que (praticamente) todos os países do mundo denunciavam novos casos e impunham medidas restritivas, colocando nos pratos da balança o resgate da economia ou a proteção da saúde pública. Ainda haverá muito sofrimento e consequências pesadas até que a desejada vacina surta os efeitos pretendidos, mas já começa a surgir uma luz ao fundo do túnel.

O primeiro caso foi detetado faz esta terça-feira, 17 de novembro de 2020, precisamente um ano. Lembramos alguns dos marcos mais importantes desta pandemia.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais