Os negócios falhados dos famosos

Raquel Lito e Filipa Teixeira 23 de fevereiro de 2019

A falência do restaurante que foi de Manuel Luís Goucha e passou para Rui Oliveira (actual marido) deixou um rasto de dívidas. Quatro das sete lojas da actriz Rita Pereira fecharam no mês passado. Mais há mais


Os moradores de São Pedro de Sintra ainda se lembram dos preparativos para a abertura do Em Banho Manel, em finais de fevereiro de 2008. Manuel Luís Goucha, nos ecrãs desde 1979, estava empenhado em conciliar a carreira na TV com o negócio de restauração. O prédio de esquina, outrora taberna, seria um luxo. "Foi mais de um ano de obras. Modificou tudo por dentro e ainda fez uma boite em cima", conta à SÁBADO José Figueira, 71 anos, nascido e criado na zona. 



Mas o projeto não vingou. O co-apresentador do Você na TV! transmitiu as quotas da empresa que explorava o espaço para Rui Oliveira (atual marido), em 2010, e a insolvência veio três anos depois. Dívidas? Mais de meio milhão, segundo os autos consultados pela SÁBADO.

Os negócios a par das carreiras na TV ou nos relvados estarão condenados? A atriz Rita Pereira quer assegurar que não, mas o fecho de quatro dos sete espaços da tapiocaria Beiju, no mês passado, é indicador de que algo poderá não estar bem. Trata-se de mais um caso recente de uma extensa lista de figuras públicas que arriscaram em projetos empresariais ambiciosos – e perderam. (A 20 de fevereiro, esta quarta-feira, e um dia depois do artigo da SÁBADO seguir para a gráfica, o apresentador da SIC João Manzarra anunciou nas redes sociais que fechou O Antigo Talho, por não ser "viável ter um negócio à distância". O restaurante vegan, em Lisboa, esteve aberto durante um ano e dois meses.)

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais