Segurança

Criminalidade em Alfama: "Assaltaram-me enquanto dormia"

Criminalidade em Alfama: 'Assaltaram-me enquanto dormia'
Raquel Lito 19 de outubro de 2021

Bernardo acordou com menos 2.700 euros. Durante a noite, a porta de casa fora aberta com um pé de cabra e uma radiografia e levaram-lhe o equipamento. Vizinhos e lojistas temem pela segurança e a Junta de Freguesia alerta para a falta de policiamento.

Alfama já leva um historial de assaltos, carteiristas e afins, mas Bernardo nunca imaginou que fossem nos moldes que se seguem. Numa noite aparentemente amena, de 10 de outubro, deitou-se às 23h, sem desconfiar que, na manhã seguinte, quando acordasse, teria um prejuízo de quase 3.000 euros. O roubo aconteceu em casa, um T1 arrendado num prédio antigo do bairro histórico de Lisboa. "Assaltaram-me enquanto dormia. Abriram a porta com um pé de cabra e uma radiografia, não dei por nada porque o quarto fica na cave e a sala no rés-do-chão", relata a vítima à SÁBADO, que deu conta da situação às 10h quando viu a porta aberta.

O seu ganha-pão, o bem mais valioso encontrava-se na sala: equipamento fotográfico, profissional, no valor de 2.700 euros. Levaram-lhe uma câmara, um flash, seis baterias, duas lentes e um microfone para vídeo que se encontravam na mala castanha pousada no sofá.

Na mesma manhã, duas vizinhas encontraram a dita mala – mas vazia – e foram à esquadra entregá-la. Bernardo foi lá depois, às 11h, para apresentar queixa. Mas pediram-lhe que viesse mais tarde, porque estavam ocupados. Atendiam dois casais, um alemão e outro britânico, assaltados na mesma noite, no mesmo bairro, em igual piso – rés-do-chão. "No caso deles, partiram as janelas e levaram computadores e iPad's", diz Bernardo. Voltou à esquadra às 18h, apresentou queixa e questionou como teria sido o roubo. Explicaram-lhe: "Porque observam as pessoas na rua, acho que me estudaram." 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais