Mapa: Os preços a que as casas estão a ser vendidas em todos os concelhos do país

Negócios 02 de fevereiro de 2019

Veja no mapa do Negócios o preço médio de venda das casas em todos os concelhos do país no terceiro trimestre de 2018. Em mais de três quartos dos municípios os preços subiram face ao período homólogo.

Por Raquel Godinho - Jornal de Negócios

Se está a ver esta notícia da aplicação do Negócios clique aqui.

 

Os preços das casas continuam a subir a bom ritmo em Portugal e as valorizações mais assinaláveis verificam-se em Lisboa, no Porto e outras grandes cidades. A tendência de aumentos é dominante, mas a discrepância nos valores ainda é bastante elevada, como é visível no mapa em cima, que foi elaborado pelo Negócios com base nos dados divulgados esta semana pelo INE.

 

As zonas a vermelho identificam os concelhos com preços de venda acima da média nacional. Estão quase todos no litoral e no Algarve. Já no interior e centro estão os concelhos onde os preços de venda chegam a ser 20 vezes mais baixos do que na capital.

 

Entre os 308 concelhos do país, os preços médios de venda no terceiro trimestre deste ano aumentaram em 234, o que representa mais de 75% do total. Apenas num em cada quatro concelhos os preços desceram no terceiro trimestre do ano passado face ao mesmo período de 2017.

 

No "ranking" dos municípios nacionais, Lisboa volta a destacar-se com o preço mediano de venda de casas mais elevado: 2.877 euros por metro quadrado. Cascais e Oeiras ocupam a segunda e terceira posições, com preços de 2.167 euros por metro quadrado e 1.878 euros por metro quadrado, respetivamente.

 

Nas posições opostas surgem os municípios de Pampilhosa da Serra, Freixo de Espada à Cinta e Figueira de Castelo de Rodrigo com os preços de venda mais baixos, a nível nacional, de 130 euros por metro quadrado, 134 euros por metro quadrado e 171 euros por metro quadrado, respetivamente.

Deste modo, a diferença entre Lisboa e Pampilhosa da Serra é de 2.747 euros por metro quadrado. Ou seja, se quiser comprar um imóvel em Lisboa, terá que pagar 20 vezes mais do que teria que pagar na Pampilhosa da Serra.

 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui