Marcelo quer novas regras para prevenção a fogos

Cátia Andrea Costa 10 de agosto de 2016

Em Gouveia, o Presidente da República defendeu que é necessário que se pense a sério na prevenção dos fogos florestais. Agora é tempo de apoiar, mas a questão não pode "arrefecer"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considera que é urgente "pensar a sério" na questão do ordenamento do território logo no final do período dos fogos, momento em quem e que não se pode "deixar arrefecer a questão". Às 12h30 desta quarta-feira, mais de 1.700 bombeiros combatiam 13 grandes fogos florestais no continentes português, ao mesmo tempo que dezenas de bombeiros continuam a tentar apagar os vários focos de incêndio no Funchal.

"Agora a grande urgência é apoiar os que ainda estão na luta, em combate ou têm de estar, pelo menos, em alerta por estes dias e dar-lhes uma palavra de gratidão", disse o chefe de Estado durante uma visita às áreas ardidas na região de Gouveia, logo lançando um aviso. "Não podemos deixar arrefecer o tema", sublinhou Marcelo, que parte esta tarde para a Madeira para acompanhar de perto os enormes incêndios que alastram na ilha tendo já provocado três mortos e mil deslocados.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login