INEM reconhece "situações anómalas" na morte de Amaral Dias

Correio da Manhã 17 de janeiro de 2020

Instituto Nacional de Emergência Médica vai enviar cópia do relatório de assistência do psicanalista e professor universitário para o Ministério Público.

O INEM concluiu o processo de inquérito à assitência feita ao psicanalista Carlos Amaral Dias e fez saber, esta sexta-feira, que vai enviar uma cópia do relatório para o Ministério Público. Através de um comunicado oficial, o Instituto Nacional de Emergência Médica reconhece "situações anómalas" no socorro ao pai de Joana Amaral Dias.

Leia o comunicado na íntegra:

"Na sequência dos acontecimentos que envolveram a assistência pré-hospitalar prestada a Carlos Amaral Dias, no passado dia 3 de dezembro de 2019, após chamada efetuada para o Número Europeu de Emergência – 112 e transferida para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Instituto Nacional de Emergência Médica, I. P. (INEM), o Conselho Diretivo do INEM determinou a instauração de um processo de inquérito para aferir com rigor as circunstâncias relacionadas com aquela ocorrência e apuramento de eventuais responsabilidades.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais