Governo incomodado com relatório da OCDE sobre a economia portuguesa

Governo incomodado com relatório da OCDE sobre a economia portuguesa
Diogo Camilo 06 de janeiro de 2019

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, admitiu ao Expresso que "se o relatório fosse transformado numa simples listagem de ideias feitas, perceções, estereótipos, seria muito errado e Portugal teria de protestar”.

Um relatório sobre a economia portuguesa elaborado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) está a causar desconforto ao ministro dos Negócios, Augusto Santos Silva, devido à abordagem relativamente ao tema da corrupção. O Expresso avança que o documento, ainda em elaboração, é considerado pelo Governo como forçado, pouco sustentado e que deixa Portugal mal na fotografia.

Apesar de não comentar o relatório, por este não ser ainda um documento oficial, Santos Silva admite ao jornal o desagrado por parte do Governo português. "Se o relatório fosse transformado numa simples listagem de ideias feitas, perceções e estereótipos, seria muito errado e Portugal teria de protestar", afirmou.

O documento em causa, o Economic Survey, é um balanço da OCDE sobre a economia portuguesa que, a cada dois anos, escolhe um tema específico para analisar. Em 2019, com data para ser publicado em fevereiro ou março, os dois temas escolhidos pela equipa coordenada por Álvaro Santos Pereira, o ex-ministro da Economia de Passos Coelho que é diretor da OCDE, são a competitividade das exportações e a relação entre o sistema de Justiça e a atividade económica - com o último a conter um segundo capítulo que tem na corrupção um subtópico em análise.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais