Apoio urgente, justo e cego

Octávio Ribeiro 07 de abril de 2020

Se não integrar as receitas das vendas nos critérios de ponderação dos apoios, o Governo estará a desenhar um fato justo apenas para alguns. Curiosamente os que têm a informação como mera função secundária.

O Governo prepara finalmente um plano de emergência para acorrer ao sufoco financeiro dos grupos de Comunicação Social.

Dos trabalhos preparatórios, ressalta um enorme perigo que, a concretizar-se, refletiria uma injusta cegueira parcial, discriminando negativamente a área da imprensa, em favor dos operadores de televisão e rádio.

A imprensa livre tem como principal fonte de receita a ligação umbilical aos leitores.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais