Algarve: Enfermeiros obrigados a devolver parte do ordenado dos últimos dois anos

Algarve: Enfermeiros obrigados a devolver parte do ordenado dos últimos dois anos
Lucília Galha 07 de abril

Os 16 enfermeiros do Hospital de Lagos estão a ser obrigados a regredir na carreira, porque a anterior administração negociou posicionamento num escalão superior sem autorização da tutela. Agora terão que devolver cerca de quatro mil euros.

Um grupo de 16 enfermeiros do Hospital de Lagos vai ser obrigado a regredir na carreira e poderá ainda ter de devolver parte do seu ordenado dos últimos 20 meses – desde setembro de 2019. O que está em causa é o posicionamento num determinado escalão da carreira de enfermagem, que não terá sido aprovado pela tutela e que agora terá de ser retificado.

O anterior Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário do Algarve comprometeu-se a equiparar estes profissionais, com Contrato Individual de Trabalho, aos restantes colegas, não fazendo diferenciação entre o tipo de vínculo dos enfermeiros. Esse compromisso foi operacionalizado a partir de setembro de 2019.

Em causa estão 200 euros mensais que terão sido pagos a mais (em virtude da mudança na posição remuneratória) nestes últimos 20 meses – uma quantia que ascende a 3.800 euros – e também o retroceder destes profissionais de saúde para a posição remuneratória de início de carreira no próximo mês de junho.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais