Cotrim contra Tavares, ou morno contra morno
Maria Henrique Espada
12 de janeiro

Cotrim contra Tavares, ou morno contra morno

Se não foi o debate mais aborrecido até agora, andará perto. Os líderes da Iniciativa Liberal e do Livre foram cavalheiros e educados, mas não devem ter conquistado um voto, ou sequer entusiasmado os fiéis. Cotrim foi mais eficaz, mas a vantagem foi ténue

É o problema de dois partidos nos antípodas e que não esperam, realisticamente, ir conquistar um voto ao terreno do adversário: frustrar o espectador à espera de embate. Aliás, o debate foi tão sereno que quase não se viram adversários, apenas dois líderes a marcar a diferença filosófico-política dos respetivos projetos, com ligeira vantagem, na capacidade de argumentação, para João Cotrim Figueiredo face a um Rui Tavares que esteve menos bem face a debates anteriores. Faltou-lhe ser mais espicaçado?

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais