Um Governo sob suspeita
Nuno Tiago Pinto Diretor
25 de janeiro

Um Governo sob suspeita

Um dos maiores perigos para a democracia é a propagação da ideia de que a classe política existe apenas para se servir a si própria em detrimento do interesse geral. Essa é uma das narrativas que alimenta os populismos, aumenta a conflitualidade no debate político e afasta os melhores da causa pública.

Quais são os limites da suspeição? Quando é que se chega a um ponto em que a presunção de inocência é substituída pela culpabilidade sem provas aos olhos da opinião pública? Em que a confiança na seriedade dos titulares de cargos políticos desaparece para dar lugar à certeza da sua desonestidade? Em que momento a legitimidade e a força de um governo são postas em causa pela fragilidade dos seus elementos? E quando é que esses elos mais fracos devem ter o desprendimento de se afastar para preservar a chamada ética republicana?

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Tópicos Editorial 978