A geringonça europeia
Daniel Adrião Primeiro subscritor da Moção de Estratégia Política Global "Resgatar a Democracia" a apresentar ao XXI Congresso Nacional do Partido Socialista
29 de fevereiro de 2016

A geringonça europeia

O excedente externo da Alemanha é superior ao PIB português. "A Europa que há muito deixou de ser uma verdadeira União e que hoje mais não é do que um conglomerado de países", escreve Daniel Adrião

Pertencemos a uma Europa que há muito deixou de ser uma verdadeira União e que hoje mais não é do que um conglomerado de países, cuja maioria de capital é detida por uma holding controlada pela Alemanha. Através desta holding o governo alemão impõe o domínio dos seus produtos e serviços a um mercado de 500 milhões de consumidores. Trata-se de um oligopólio dominado por um cartel que controla toda a cadeia de valor, desde a emissão da moeda única, passando pelos canais de comercialização e acabando nos processos de financiamento. Os resultados estão à vista, a Alemanha teve no último ano o maior excedente externo de sempre entre os países da União Europeia: 252 mil milhões de euros. Para termos uma ideia aproximada do que este valor representa, basta dizer que o excedente comercial da Alemanha é superior a todo o PIB de Portugal.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login