Vacine-se
Ana Rita Cavaco
26 de abril

Vacine-se

Tenho muito mais medo do tabaco, da endometriose, da pílula, do mau olhado das pessoas invejosas do que da vacina.

O meu pai foi vacinado com a vacina da Astrazeneca no dia 20 de Abril. Penso que isto diz tudo sobre aquilo que penso a propósito da polémica em torno da segurança do processo de vacinação. Poderia dizer que não existem vacinas sem riscos, assim como não há medicamentos sem efeitos secundários. O que temos de pesar é se os benefícios superam, ou não, os riscos. Neste caso, é óbvio que sim.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui