Desconfinar a duas vozes
Ana Rita Cavaco
15 de março

Desconfinar a duas vozes

Os factos são o que são. Marcelo queria desconfinar depois da Páscoa, António Costa avançou já. Vamos ter o regresso às escolas associado à promessa de vacinar professores e profissionais não docentes. É um erro associar as prioridades do plano de vacinação a critérios políticos, fugindo das decisões técnicas.

"É uma questão de prudência manter a Páscoa como marco", disse o Presidente da República. Será António Costa imprudente ao anunciar o início do desconfinamento duas semanas antes do dito marco? "Desconfinar a correr será tão tentador quanto leviano", denunciou Marcelo Rebelo de Sousa. Será o Primeiro-Ministro leviano ao decretar já a abertura de parte das escolas, comércio local com vendas ao postigo, cabeleireiros e barbeiros?

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui