Ministra propõe que trabalhadoras casadas dêem ordenado ao Estado

Nuno Paixão Louro 05 de dezembro de 2016

"Há os nossos maridos que tratam de nós", disse a ministra argelina da Solidariedade Social para se justificar. A ideia foi muito mal recebida e choveram críticas nas redes sociais

A ministra da Solidariedade Nacional da Argélia sugeriu, no final de Novembro, que as funcionárias públicas que são casadas entreguem os seus salários ao Estado. A ideia é fazer face à descida dos preços do petróleo e, como seria de esperar, não foi nada bem recebida, provocando um verdadeiro tumulto.

Mounia Meslem, que também tutela as pastas da Família e da Condição da Mulher, disse que as mulheres têm os maridos que as sustentam e por isso podem prescindir dos seus ordenados. A sugestão foi feita durante uma entrevista à televisão El Bilad e foi a resposta da ministra à pergunta sobre se os políticos estariam dispostos a abdicar de parte dos seus salários para ajudar o país.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais