Líder de culto com escravas sexuais condenado a 120 anos de prisão

José Couceiro com Leonor Riso 29 de outubro de 2020

Keith Raniere criou o culto Nxivm e marcava mulheres com as suas iniciais. Tudo começou como uma empresa de autoajuda no final dos anos 1990.

Keith Raniere, o guru criador de uma empresa de auto-ajuda que se transformou num culto sexual, foi condenado a uma pena de 120 anos esta terça-feira. O julgamento durou seis semanas e terminou com o testemunho de mais de uma dúzia de vítimas que foram manipuladas e abusadas por Raniere, de 60 anos. O júri condenou-o por crimes de extorsão, tráfico sexual, trabalho forçado, roubo de identidade e abuso sexual de menores. 

Nxivm, a empresa de Raniere, foi fundada no final dos anos 90 e tornou-se popular nos círculos de Hollywood e empresariais pelos seus workshops de auto-ajuda. No entanto, estes cursos eram apenas uma porta de entrada para a organização, que chegou a ter 16 mil pessoas. 

Em 2017, vários membros antigos alertaram as autoridades do estado de Nova Iorque para investigar a empresa. As queixas incidiam sobre um grupo secreto que existia dentro da empresa chamada DOS (Dominus Obsequious Sororium – que significa Mestre das Irmãs Escravas).

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais