Juana, a mãe que pôs os espanhóis contra os tribunais

Juana, a mãe que pôs os espanhóis contra os tribunais
Leonor Riso 27 de julho de 2018

Foi condenada a seis anos de prisão por ter raptado os filhos, mas alega que os levou para os proteger do parceiro que os maltratava.

É a história mais polémica em Espanha: Juana Rivas, uma mãe espanhola que fugiu com os dois filhos do marido acusando-o de maus-tratos, foi condenada a cinco anos de prisão por rapto. O tribunal de Granada considerou que as alegadas agressões não foram provadas.

Além da pena de prisão, esta mãe terá que pagar os custos legais, mais 30 mil euros ao marido por danos morais e materiais. Mas a pior condenação é o impedimento de ter os direitos de custódia dos filhos durante seis anos.

A história de Juana Rivas começa em Maio de 2016. Foi quando ela fugiu de Itália, onde vivia com o marido Francesco Arcuri, rumo a Granada. Alegou que ia só visitar a família e que voltaria, mas apresentou, em solo espanhol, uma queixa por violência doméstica. "Quando uma mulher foge do terror para proteger as suas crianças não as está a raptar", afirmou na altura.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais