Artista russo detido por divulgação de vídeos sexuais de político francês

Artista russo detido por divulgação de vídeos sexuais de político francês
Diogo Barreto 16 de fevereiro de 2020

Petr Pavlensky admitiu ter divulgado vídeos de ex-porta-voz de Macron e candidato à câmara de Paris. Segundo o artista exilado em Paris, queria demonstrar a "hipocrisia" do candidato.

O artista russo Petr Pavlensky foi colocado em prisão preventiva por ter divulgado vídeos íntimos do ex-porta-voz da presidência francesa Benjamin Griveaux. Os vídeos foram divulgados enquanto o político se candidatava à perfeitura parisiense. O episódio levou à desistência da candidatura. A sua namorada foi também detida para interrogatório sobre o caso, já que terá sido ela a receber as imagens. 

Pavlenski tinha sido detido no sábado à tarde para que fosse ouvido num caso de "violência com armas" ocorrido na noite de 31 de dezembro. No entanto, a justiça francesa aproveitou a detenção para o questionar sobre a divulgação dos vídeos do ministro a masturbar-se, tendo o artista confirmado que tinha sido ele o autor da mesma.

Às autoridades, o russo explicou que queria expor a "hipocrisia" de ex-porta-voz do Palácio do Eliseu. A companheira do artista russo, que terá, alegadamente, recebido os vídeos do político francês, foi detida também no sábado e está a ser interrogada. A mulher foi detida no âmbito da investigação sobre a "violação da intimidade e vida privada" e "difusão sem consentimento da pessoa de imagens de caráter sexual" iniciada pela Justiça francesa, explica o Ministério Público de Paris.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais