Entrevista

Michael Anderson: "Podemos apagar experiências da memória rapidamente"

Michael Anderson: 'Podemos apagar experiências da memória rapidamente'
Raquel Lito 27 de julho

Passar uma borracha pelo assunto, especialmente se for traumático, tem sido o tema de estudo deste académico de Cambridge. Recentemente, descobriu as áreas do cérebro envolvidas e explica à SÁBADO o processo.

O cérebro é um labirinto, mas já há zonas sinalizadas para a paragem das memórias intrusivas – aquelas que ensombram, por exemplo, as vítimas de stresse pós traumático. Michael C. Anderson, neurocientista da Universidade de Cambridge (Reino Unido) tem estudado o processo e, recentemente, chegou a algumas conclusões.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui