Maria Luís nega ter favorecido a empresa que a contratou

Cátia Andrea Costa 03 de março de 2016

Antiga ministra das Finanças de Passos Coelho garante nunca ter tido "influência" em qualquer decisão tomada pela financeira britânica Arrow, cujos quadros vai integrar cxcomo administradora não executiva

A deputada do PSD e antiga ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque confirmou a sua contratação pela Arrow Global, defendendo não ter "nenhuma incompatibilidade ou impedimento legal" com actuais ou anteriores funções políticas. Além disso, no mesmo comunicado emitido esta quinta-feira, negou ter tido "influência" em qualquer decisão tomada pela empresa financeira.

A ex-ministra das Finanças foi nomeada para directora não executiva do grupo Arrow Global, o qual tem em Portugal clientes como Banif, Millennium BCP ou Montepio. A entrada teve efeito a partir de 7 de Março e a agora deputada vai integrar o comité de risco e auditoria. "A função de administradora não executiva não tem nenhuma incompatibilidade ou impedimento legal pelo facto de ter sido ministra de Estado e das Finanças e de ser deputada. Qualquer outra leitura que possa ser feita desta nomeação só pode ser entendida como mero aproveitamento político-partidário", afirmou Maria Luís Albuquerque.

 

A ex-ministra das Finanças do Governo PSD/CDS-PP sublinha que as funções que desempenhará no grupo britânico "são de natureza estritamente não executiva, isto é, sem participação nas decisões sobre negócios em concreto, em Portugal ou noutros países". De acordo com a deputada e ex-governante, o objectivo da sua contratação "é de aportar valor à empresa sobre matérias de enquadramento macroeconómico e regulatório ao nível europeu, sobretudo da Europa continental".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais