Coronavírus: FMI prevê "pior recessão desde a Grande Depressão"

Jornal de Negócios 14 de abril de 2020

A pandemia do novo coronavírus vai traduzir-se, em termos económicos, numa contração de 3% da economia global em 2020, projeta o FMI. O Fundo estima ainda que o conjunto da Zona Euro contraia 7,5% neste ano. Às contrações da Alemanha (-7%), França (-7,2%) e Estados Unidos (-5,9%), a China vai responder com um crescimento de 1,2%, bem abaixo da expansão de 6,1% conseguida em 2019.

Já se sabia que seria grande a "pancada" da pandemia do novo coronavírus para a economia mundial. Agora o Fundo Monetário Internacional (FMI) vem estimar, no World Economic Outlook, publicado esta terça-feira, a dimensão desse impacto numa contração da economia global de 3% em 2020, seguida de uma recuperação parcial assente numa expansão de 5,8% no ano seguinte.

Trata-se de uma ampla revisão em baixa, dado que, na atualização feita em janeiro, quando o surto estava ainda praticamente confinado à China, o Fundo projetava uma expansão económica de 3,3% neste ano e de 3,6% no próximo.

É muito provável que neste ano a economia global viva a pior recessão desde a Grande Depressão".   Gita Gopinath
Sendo Itália o país europeu mais atingido pela pandemia, é natural que a economia transalpina esteja na linha da frente das mais penalizadas pelo surto. O FMI estima que o PIB italiano encolha 9,1% em 2020 e que cresça 4,8%. Após ter fechado 2019 com um crescimento de apenas 0,3%, em janeiro o Fundo projetava que a economia transalpina avançasse 0,5% no presente ano e 0,7% em 2021.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais