Centeno: "É uma honra ser o próximo presidente do Eurogrupo"

Cátia Andrea Costa 04 de dezembro de 2017

Ministro das Finanças não quis responder à possibilidade desta eleição poder colocar problemas à gerigonça, devido à postura de Bloco de Esquerda e PCP sobre a UE e o euro.

Mário Centeno afirmou, em Bruxelas, que "é uma honra ser o próximo presidente do Eurogrupo", nas suas primeiras palavras, em inglês, na sala de imprensa do Conselho da União Europeia, em Bruxelas, após ter sido eleito. Ao lado do ainda presidente do fórum de ministros das Finanças da zona euro, Jeroen Dijsselbloem, do comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, e do director do Mecanismo Europeu de Estabilidade, Klaus Regling, Mário Centeno agradeceu aos seus colegas, "em particular" aos seus concorrentes na eleição, o luxemburguês Pierre Gramegna, a letã Dana Reizniece-Ozola e o eslovaco Peter Kazimir, por "uma corrida justa e muito democrática".

"E é uma honra [ser o novo presidente] devido à relevância deste grupo, à qualidade dos meus colegas e à importância do trabalho que temos de fazer nos próximos anos", declarou Centeno, que sublinhou que esse trabalho "tem de ser feito por todos os membros que pertence ao euro, Comissão, instituições europeias". 

Durante a conferência, Centeno recusou responder se acha que este novo cargo pode colocar em causa a continuidade da "geringonça", devido às posições de PCP e BE sobre a UE e o euro. 
"Sou presidente eleito do Eurogrupo, por isso a política interna é respondida internamente. Quero apenas sublinhar os consensos muito fortes conseguidos para esta eleição e a firme determinação do Governo português com o projecto europeu", respondeu.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais