Estudo conclui que fazer sexo regularmente diminui os sintomas de doentes com Parkinson

CM 08 de julho de 2019

A atividade sexual está associada a uma redução dos sintomas e a uma progressão mais lenta da doença, essencialmente nos homens.

Manter uma vida sexual ativa pode ajudar a aliviar os sintomas da doença de Parkinson e a melhorar a qualidade de vida. A conclusão é de um estudo realizado a 355 pacientes, citado pelo jornal britânico Daily Mail, que avaliou pacientes nos primeiros estágios da doença de Parkinson.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais