Crítica de cinema: Corpus Christi

Tiago Santos 16 de fevereiro de 2020

Esta é a história de Daniel, que assume o cargo de pároco de uma pequena localidade que está de luto devido a um trágico acidente

O céu está quase sempre cinzento, o ar húmido e é difícil de respirar. O centro de detenção onde o jovem Daniel acaba de cumprir pena é - apesar dos ensinamentos Cristãos e das missas onde serve como ajudante - palco de violência constante. Mesmo assim, ele deseja uma carreira clerical, mas há pecados que a Igreja não perdoa: com o seu cadastro, é impossível.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais