Tribunal de Contas: Risco de fraude nas viagens dos deputados é "elevado"

Negócios 05 de dezembro de 2018

O Tribunal de Contas analisou os números do Parlamento e, apesar de os aprovar, identificou várias práticas erradas. Os subsídios para transportes ou o seguro de saúde são exemplo disso.

Por Tiago Varzim - Jornal de Negócios

As contas de 2017 da Assembleia da República passaram no crivo do Tribunal de Contas (TdC), mas não escaparam a uma série de críticas. Os juízes do TdC apontam o dedo ao risco de fraude "elevado" nas viagens dos deputados e a existência "ilegal" de um seguro de saúde. O parecer foi publicado esta quarta-feira, 5 de Dezembro, no site do TdC.

"O TdC entende que o juízo sobre a conta da AR, gerência de 2017, é favorável", atestam os juízes. Contudo, "sem afectar a opinião, chama-se a atenção para as situações relativas às despesas de transporte dos senhores deputados", assinalam, referindo que estes foram dispensados da apresentação de documento que comprovem os custos incorridos. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login