PSP nega manipulação de pirotecnia na Luz e fala em "questões de reserva operacional e processual"

Record 19 de novembro de 2018

Em causa está a apreensão de material pirotécnico no Benfica-FC Porto de 26 abril de 2015

Por Record - Record

A Direção Nacional da PSP justificou esta segunda-feira que as omissões relativas à apreensão de artefactos pirotécnicos, no Benfica-FC Porto de 26 de abril de 2015, na Luz, por "questões de reserva operacional e processual". Refere mesmo tratar-se de um "procedimento seguido em situações semelhantes".

Em comunicado, numa reação à notícia do nosso jornal, a Direcção Nacional da PSP nega ter ocutado ou manipulado informação.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login