PM irlandês apoia referendo sobre reunificação com a Irlanda do Norte

Negócios 19 de julho de 2016

Enda Kenny considera que a "possibilidade" de reunificação das duas Irlandas deve ser tida em conta nas negociações, entre Londres e Bruxelas, sobre o Brexit. O primeiro-ministro fala mesmo num referendo.

Por David Santiago - Jornal de Negócios

O primeiro-ministro da República da Irlanda, Enda Kenny, defende que a "possibilidade" de reunificação com a Irlanda do Norte deve ser tida em conta nas negociações que serão em breve iniciadas entre Londres e Bruxelas com vista à saída do Reino Unido da União Europeia (UE).
 
De acordo com o Irish Times, o político de centro-direita e líder do Fine Gael, num discurso feito na noite da passada segunda-feira, 18 de Julho, abordou a hipótese de, em algum momento,os irlandeses se poderem pronunciar sobre a eventual reunificação dos dois estados, embora tenha reconhecido que as condições para tal votação não estejam ainda reunidas.
 
Para Enda Kenny esse hipotético referendo deveria ter lugar se, em determinado momento, a população norte-irlandesa desse indicações de que gostaria de abandonar o Reino Unido e, em consequência, juntar-se à República da Irlanda.
 
"A discussão e as negociações que terão lugar proximamente devem levar em linha de conta essa possibilidade (…) de que se houver uma clara evidência de uma maioria de pessoas [da Irlanda do Norte] a querer abandonar o Reino Unido e juntar-se à República [da Irlanda], então isso deve ser atendido nas discussões [sobre o Brexit]", justificou Kenny citado pelo EUObserver.
 
As palavras do primeiro-ministro irlandês não podem ser dissociadas do facto de no referendo britânico sobre o Brexit, tal como na Escócia, também na Irlanda do Norte ter vencido o sim à permanência na UE. Enda Kenny recorreu mesmo ao exemplo da reunificação alemã, em 1990, em que a República Democrática Alemã (RDA), que não era Estado-membro da UE, passou a pertencer ao bloco europeu logo que se concretizou a reunificação com a Republica Federal da Alemanha (RFA).

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login