Os gastos do Estado com advogados, a dança das cadeiras e as preocupações com o crédito

Negócios 06 de janeiro de 2019

xxxxxxxxxxxxxx

Por Jornal Negócios - Jornal de Negócios

Bom dia,

Em 2018, o Estado gastou 21,7 milhões de euros com advogados. Trata-se do valor mais alto dos últimos seis anos e representa quase tanto o que foi despendido no período entre 2008 e 2010, segundo as contas feitas pelo jornalista João D’Espiney. O Banco de Portugal foi a entidade com gastos mais elevados. Em contrapartida, a sociedade de advogados Vieira de Almeida foi aquela que mais serviços jurídicos prestou ao Estado.

Vai começar a dança das cadeiras, tanto nas empresas públicas como nas privadas. Só no PSI-20 há cinco grandes empresas que vão ter assembleias-gerais eletivas, Nos, Sonae, The Navigator, Galp e Jerónimo Martins. Quanto às empresas públicas, o destaque vai para as mudanças nas administrações portuárias, um setor fustigado pelas greves dos estivadores. As jornalistas Alexandra Machado e Maria João Babo fizeram um raio-x exaustivo do que irá acontecer.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui