Manifestações e greves de professores regressam se não houver acordos

CM 06 de dezembro de 2017

Fenprof ameaça com novas paralisações em 2018.

Por Correio da Manhã

Os professores que hoje se reuniram em 21 plenários descentralizados convocados pela Fenprof aprovaram moções que admitem o regresso às manifestações e às greves, mas remetem decisões para o final das rondas negociais com a tutela, em janeiro.

"Com a negociação e a luta no centro do debate, os professores aprovaram -- em quase todos os casos, por unanimidade, o que é muito significativo -- uma moção que apela para a luta. Desde logo, para a presença na Tribuna Pública que se realizará amanhã [quinta-feira], mas também para a marcação de novo plenário para o final do ciclo negocial em curso, com o objetivo de avaliar o resultado das negociações e a eventual aprovação de um calendário de ação e luta que se estenderá, pelo menos, até final do ano letivo e que poderá incluir Manifestação Nacional e, de novo, o recurso à greve", lê-se num comunicado da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), hoje divulgado.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login