Fintech-estrela alemã suspeita de fraude e lavagem de dinheiro. Ações afundam 25%

Negócios 30 de janeiro de 2019

A fintech que ultrapassou o Deutsche Bank em valor de mercado está envolvida em suspeitas de fraude e lavagem de dinheiro, um esquema exposto pelo Financial Times. As ações já afundaram quase 25%.

Por Rita Faria - Jornal de Negócios

Há escassos meses, a Wirecard fazia manchetes por ter superado o gigante alemão Deutsche Bank, em valor de mercado, com uma capitalização superior a 21 mil milhões de euros, e ter substituído o Commerzbank no índice acionista alemão DAX30. Agora, a startup de pagamentos regressa às notícias, mas por suspeitas de fraude e lavagem de dinheiro.

O caso é revelado esta quarta-feira, 30 de janeiro, pelo Financial Times, que teve acesso a um documento interno, que descreve transações potencialmente fraudulentas envolvendo um executivo sénior da empresa, Edo Kurniawan, que é responsável pela contabilidade do grupo na região Ásia-Pacífico.

O documento intitulado "Project Tiger Summary" foi preparado por um departamento de compliance da fintech e apresentado a quatro responsáveis da empresa, incluindo o CEO Markus Braun, no passado mês de maio. Chegou às mãos do FT por meio de um denunciante que, segundo a publicação, agiu motivado por preocupações de que nada fosse feito em relação aos potenciais atos criminosos dentro da empresa.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login