Ângelo Ramalho: Portugal não tem um "histórico famoso" nas revoluções industriais

Negócios 14 de novembro de 2016

O CEO da Efacec debateu a evolução da indústria e disse que a empresa ainda não tinha chegado ao 4.0. A Sakthi, de Jorge Fesch a credita no papel de Portugal e Espanha, sobretudo nas relações com África. E a Cabelte, de Pais de Sousa, já tem os dois pés na revolução tecnológica.

Por Alexandra Noronha - Jornal de Negócios

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login