Supremo nega pedido para libertar jovem que abandonou recém-nascido no lixo

Cátia Andrea Costa 14 de novembro de 2019

Habeas corpus pedia a libertação imediata de Sara, considerando que a prisão preventiva era ilegal.

O Supremo Tribunal de Justiça rejeitou o pedido para libertar a jovem de 22 anos que abandonou um recém-nascido no lixo, em Lisboa. O habeas corpus entregue por um grupo de advogados pedia a libertação imediata de Sara, considerando que a prisão preventiva era ilegal e que a jovem agiu influenciada pelo "stress pós-traumático" provocado pelo parto.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais