PJ está a fazer buscas na Santa Casa de Lisboa

PJ está a fazer buscas na Santa Casa de Lisboa
Maria Henrique Espada 22 de outubro de 2021

Vários agentes da Polícia Judiciária chegaram hoje de manhã à sede da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. As buscas decorrem no piso da Provedoria, onde está instalado o órgão de gestão da instituição. Também estiveram na Escola Superior de Saúde de Alcoitão, que pertence à SCML

Um grupo de agentes da Polícia Judiciária (PJ) chegou esta sexta-feira de manhã à sede da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, para proceder a buscas. Ao que a SÁBADO apurou, as buscas incidem nos gabinetes reservados à Provedoria da SCML, ou seja, no piso onde estão instalados os órgãos de gestão da instituição. 

Fonte oficial da SCML já confirmou à SÁBADO a ocorrência das buscas. 

A Escola Superior de Superior de Alcoitão (ESSA), que é tutelada pela SCML, também foi alvo de buscas. Recorde-se que a ESSA já gerou polémica pela contratação de Maria da Luz Cabral, atualmente coordenadora do Grupo de Trabalho de Políticas Públicas de Longevidade e a trabalhar na sede, precisamente no piso da Provedoria. Mas que começou por ser contratada para a ESSA, quando Edmundo Martinho - com quem mantinha um relacionamento - era ainda vice-Provedor. O despacho que a exonerou do seu anterior vínculo à Administração Pública (no Diário da República de 12/5/2016), dá-a como tendo a "categoria e carreira de assistente operacional" (a mais baixa das três carreiras no Estado, segundo a Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas). Mas, na ESSA, Maria da Luz Cabral passou a auferir 3.601,03 euros, na medida em que foi promovida, passando de professora a coordenadora um mês depois de entrar. Outra polémica foram os alegados gastos em excesso em deslocações apresentadas pela coordenadora e que terão atingido cerca de 20 mil euros no espaço de cerca de um ano. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais