Cidadão chinês enviou milhões de euros para a Ásia em sacos e malas

Cidadão chinês enviou milhões de euros para a Ásia em sacos e malas
Nuno Tiago Pinto 19 de julho

Durante mais de três anos, um cidadão chinês enviou milhões de euros para o país natal, em malas transportadas em aviões ou através de transferências bancárias injustificadas. Foi preso pela PJ. Origem do dinheiro é desconhecida.

Desde o início de 2018 que as cidadãs chinesas Junmin Xia e Fuxin Yu entravam e saiam semanalmente de Portugal. Por isso foi com naturalidade que a 2 de novembro desse ano Junmin Xia se deslocou ao aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, para embarcar num voo com destino a Istambul. Levava com ela uma mala que despachou para o porão. Tudo corria normalmente. Só que, quando se preparava para embarcar na porta N47, foi abordada pelas autoridades. Motivo: a bagagem continha vários sacos de tecido preto, cada um com inúmeros maços de notas num valor total de 602.400 euros.

Apesar do percalço da companheira, a 16 de novembro Fuxin Yu dirigiu-se ao aeroporto de Lisboa para apanhar um voo com destino a Varsóvia. Mas antes que o pudesse fazer, também ela foi detida pelas autoridades já que, na bagagem, levava também vários sacos pretos com 454.100 euros em notas.

As mulheres nunca revelaram a origem do dinheiro. Mas para além da coincidência de viajarem semanalmente, as autoridades perceberam que ambas indicavam como morada em Portugal o mesmo apartamento localizado no Parque das Nações. O imóvel tinha sido arrendado em janeiro de 2018 por alguém que se identificou ao proprietário como Xiangru Gong e que pagava uma renda mensal de 1.700 euros.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais