Carlos Castro foi assassinado brutalmente há oito anos

Carlos Castro foi assassinado brutalmente há oito anos
Alexandre R. Malhado 07 de janeiro de 2019

Carlos Castro, de 65 anos, foi encontrado numa poça de sangue, castrado no quarto 3416 do hotel Intercontinental, em Nova Iorque. Renato Seabra mutilou-o com um saca rolhas. Oito anos depois, o modelo ainda está a 17 anos de poder pedir liberdade condicional.

Há oito anos, um assassinato chocou Portugal. Carlos Castro, de 65 anos, foi encontrado morto e castrado no quarto 3416 do hotel Intercontinental, em Times Square, no dia sete de Janeiro de 2011. Fora mutilado com um saca rolhas - cortando-lhe uma orelha, o escroto e os testículos - pelo modelo português Renato Seabra, de 21 anos, com quem alegadamente mantinha um romance. Oito anos depois, o modelo continua a cumprir pena de prisão efetiva na ‘Clinton Correctional Facility’, um estabelecimento de alta segurança situado junto à fronteira com o Canadá.

Nove dias antes do assassinato, tinha dado entrada naquele hotel acompanhado pelo Renato Seabra, com quem ia passar o Ano Novo. De acordo com o Correio da Manhã, "o cronista social confessou aos amigos estar perdidamente apaixonado por Seabra". Tinham começado um romance em Outubro de 2010, quando Castro enviou uma mensagem via Facebook a Seabra a oferecer-lhe ajuda para a carreira de modelo. Nos meses seguintes, conta o CM, "foram ao teatro, fizeram compras nas melhores lojas, privaram com amigos de Castro que os acharam felizes". Em Dezembro, Renato Seabra e Carlos Castro foram passar o Ano Novo a Nova Iorque.

Contudo, na tarde dia sete de Janeiro, aconteceu uma tragédia no quarto 3416 do hotel Intercontinental. O jovem modelo esmurrou Carlos Castro até lhe partir os ossos da cara, atirou um televisor contra o peito e cabeça, partiu uma cadeira no corpo da vítima e mutilou-o com um saca rolhas. Após cometer o crime, Renato Seabra pôs-se em fuga, vagueando pela cidade, mas acabou por ser detido horas depois.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais