A fauna dos debates
Pedro Marta Santos
16 de janeiro

A fauna dos debates

António Costa é um primata de grande porte e Rui Rio um tubarão-branco capaz de manobras de dissimulação que o transformam em golfinho sorridente.

A hermenêutica dos debates para as legislativas resume-se a isto: o combate democrático é uma "selva", e a selva está atulhada de "animais políticos". Ou nas palavras imortais de Ângela Silva, a savana do confronto televisivo divide-se entre os killers e os outros, presas encurraladas na falésia a pique do soundbite. É uma exegese das eleições como documentário da National Geographic, com Marques Mendes a fazer de David Attenborough do Portugal dos Pequenitos e Marcelo na pele de Jane Goodall dos antropomorfos, que batem no peito por mais um voto rumo a uma maioria "estável". Incapazes de contrariar a força eufemística dos comentadores, deixamos uma contribuição para este plebiscito da vida selvagem:

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais