O caso de Paulo Rangel
José Pacheco Pereira Professor
09 de setembro

O caso de Paulo Rangel

Para muitos opositores de Rui Rio, com o plano de capturar o PSD para a frente de direita radical que pretendem formar, Paulo Rangel é um candidato de transição. Não é ele que pretendem à frente do partido, mas outro ou outros. Como se vai ver.

Num país e num tempo normal, Paulo Rangel não precisaria de fazer o que fez. Neste país e neste tempo, o que fez mostra coragem. 

O caso de Paulo Rangel (2)
Mas convém ser lúcido. Há muita hipocrisia nos elogios à sua atitude, dos que politizam o seu caso, como "desminando" o caminho para o seu previsto confronto com Rui Rio. Não é o que ele fez que conta, mas não "estragar" o candidato, este ou qualquer outro, para derrubar Rui Rio. Este entusiasmo mal contido com a "saída do armário" é puro aproveitamento político, por quem aliás inventou uma "campanha" que nunca existiu nos termos em que a descrevem. A campanha que existe é outra, é a da homofobia, e essa interessa-lhes pouco. 

O caso de Paulo Rangel (3)
Para muitos opositores de Rio, com o plano de capturar o PSD para a frente de direita radical que pretendem formar, Rangel é um candidato de transição. Não é ele que pretendem à frente do partido, mas outro ou outros. Como se vai ver. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais